Colíder - Domingo, 28 Fev 2021
(66) 9.9680-3949
Colíder News
Machado Vicentinos O Seu Portal de Notícias
Hora Certa
Banner Whatsapp O Seu Portal de Notícias

Prefeito chama festas de 'bombas-relógio' e pede colaboração da população: 'milagre eu não posso fazer'

“Foi interditada e vai ter que responder na lei, inclusive com multas pesadíssimas, porque não é possível conviver com tamanha...

19 Jan 2021 às 07:52
Olhar Direto - José Lucas Salvani
Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) se manifestou pela primeira vez sobre a última interdição da Nuun Garden, que ocorreu no domingo (18), em decorrência do descumprimento de medidas de biossegurança contra o novo coronavírus. O chefe do executivo municipal reconhece que os proprietários não são os únicos a serem responsabilizados, mas afirma que “não é possível conviver com tamanha irresponsabilidade” por parte deles. Para ele, estes eventos são "bombas-relógio".


"É [preciso] ser radical. Tolerância zero com esses eventos privados que já são público e notório serem uma bomba-relógio e grande ameaça de propagação rápida do vírus no nosso meio. Demonizar comércio ou o trabalhador individual não é o caminho. O caminho é evitar e ser inflexivel, com tolerância zero com os grandes eventos. Eu não quero podar eventos e travar minha cidade. Já passou essa fase, mas não passou irresponsabilidade na cabeça de uma certa faixa da população e promotores de eventos que depois querem culpar o prefeito por uma determinada situação de um colapso da saúde, por exemplo", disparou durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (18).

O Nuun Garden já foi vetado de funcionar pela Prefeitura de Cuiabá três vezes. A última aconteceu neste domingo (17), após um vídeo, que mostrava o local lotado com quase todas as pessoas sem máscaras, circular nas redes sociais no último sábado (16). Segundo o executivo, a proibição é válida até que a empresa regularize sua situação.

“Foi interditada e vai ter que responder na lei, inclusive com multas pesadíssimas, porque não é possível conviver com tamanha irresponsabilidade. Não é possível. Eu não entendo o que move os proprietários e as pessoas que vão até lá. Os proprietários não podem ser responsabilizados sozinhos. Se está cheio daquele jeito, é porque havia uma multidão lá. Assim está sendo em outros eventos privados”.

Durante a coletiva, o prefeito ainda pediu colaboração dos moradores de Cuiabá. "A população tem que ajudar, milagre eu não consigo fazer. Se continuar com o comportamento irresponsável como está, tende se agravar os números. É justo com quem está fazendo sua parte? Com quem está se protegendo, usando máscaras, não se aglomera, se priva de eventos, festas, de ver familiares".

Outro lado

O estabelecimento divulgou uma nota alegando que não foi notificado ou multado. "A fiscalização esteve presente ao estabelecimento, onde constatou que o mesmo estava dentro da normalidade determinada pelo último decreto, quanto a questão de capacidade e medidas de biossegurança. A fiscalização ainda permitiu que o estabelecimento continuasse com seu funcionamento ao constatar a legalidade das ações do mesmo", pontuou.

Shows e festas proibidos durante 45 dias

No Estado, eventos sociais, festas, shows e atividades em casas noturnas e confraternizações com mais de 100 pessoas em espaços privados ou públicos, “inclusive o uso de logradouros públicos, onde haja aglomeração e consumo de bebidas alcoólicas”, estão proibidas. A determinação é assegurada por um novo decreto, publicado nesta segunda-feira, com validade de 45 dias.

Em resposta, a Associação Brasileira de Empresas e Eventos (Abeoc) Regional Mato Grosso, solicitou ao governador Mauro Mendes (DEM) para que reveja o documento. Conforme nota da Abeoc-MT, o impacto pelos imediatos cancelamentos dos eventos e demais medidas restritivas para o setor do turismo em função da pandemia já representam um prejuízo enorme para o mercado como um todo, para a sua cadeia produtiva e para a economia em geral.

“Esta crise sem precedentes para o setor, sem dúvida alguma, trará relevantes impactos financeiros e econômicos, por um período prolongado e que será de extrema dificuldade, tanto para a população, quanto para o empresariado de micro e pequenas empresas, o que coloca em risco não somente o cenário presente, mas também o futuro do mercado de eventos e de entretenimento e dos diversos segmentos do setor do turismo como um todo em Mato Grosso”, acrescenta o posicionamento da Associação.



Participe do nosso Grupo de WHATSAPP e fique por dentro de todas as noticias do nosso site, CLIQUE AQUI.



Previsão do Tempo - Colíder

°

Máxima: °
Mínima: °

Publicidades

Direitos Reservados |